A Escola FISIO VITAE vem desde Junho de 2004 formando profissionais e os qualificado no âmbito da massoterapia e terapias manuais/ naturais complementares com mais de 700 alunos formados entre os quais biólogos, fisioterapeutas, educadores físicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, naturológos, médicos e terapeutas naturais.

A Escola FISIO VITAE que já promove cursos livres neste segmento com reconhecimento da OCIP Padre Landell de Moura sob número de registro113/08, dentro das normas da Portaria 008/02 da SEED/SC (Secretaria Estadual de Educação e Desporto).

A Organização Mundial de Saúde (OMS), após a conferência de 1.962, realizada em Alma-Ata, URSS, declarou a importância dos “cuidados primários de saúde” no projeto “Saúde Para Todos No Ano 2.000”. Considera que a saúde é um direito humano fundamental e que os governos têm a obrigação de proporcioná-la a seus povos.

Considera que a Medicina Convencional não é acessível para grande parcela da população. Os cuidados primários de saúde seriam compostos de práticas não convencionais e métodos terapêuticos populares aceitos pelas comunidades, implantados a um custo que possa ser mantido em cada estágio do seu desenvolvimento. Os governos devem adotar medidas sanitárias e sociais adequadas, contando com a participação de médicos, enfermeiros, parteiras, auxiliares e praticantes das medicinas populares, para trabalhar como equipes multiprofissionais atendendo as necessidades de saúde das comunidades.

A credibilidade da OMS e sua imparcialidade têm assegurado a crescente evolução da prática de terapias naturais e não convencionais no planeta, como a Massoterapia e terapias naturais. A OMS sempre colaborou com os países interessados no esforço de introduzir elementos das terapias naturais e tradicionais de utilidade comprovada nos Sistemas de Saúde, especialmente no atendimento primário, operando projetos de baixo custo para prevenir e tratar males comuns adquiridos pelas populações carentes. A OMS, por sua vez, sempre apoiou programas de formação ou capacitação de profissionais da saúde em estudos de técnicas naturais e práticas tradicionais cuja inocuidade e eficácia se tenham comprovado. A OMS espera que todos os países terminem reconhecendo todas as possibilidades que oferecem as Técnicas Terapêuticas Naturais e Tradicionais.

Devemos considerar também as resoluções da IX e X Conferência Nacional de Saúde que recomendam:

1. Incentivar e proteger o saber popular e incluir as práticas alternativas de saúde na rede pública;

2. Os modelos assistenciais devem desenvolver práticas diferenciadas segundo a realidade local, com garantia de acesso universal, não configurando um sistema simplificado. Devem-se incorporar as Práticas Alternativas dos serviços de saúde, as tecnologias populares e tradicionais e as ações de Promoção da Saúde;

3. A mudança do modelo assistencial exige a deshospitalização da assistência médica e a desmedicalização.

Estamos nos baseando também na insuficiência de profissionais de saúde para atender à extensão territorial do Brasil, e, na ausência de profissionais que possam utilizar técnicas terapêuticas naturais que barateiem o custo dos atendimentos, como também na inexistência de instituições de ensino universitário que formem e capacitem profissionais Massoterapeutas de nível superior.

A Massoterapia é uma profissão regulamentada segundo as Leis Federais: LEI Nº. 8.345 de 10/12/1945, LEI Nº. 3.960 de 20/09/1961, LEI Nº. 3.868 de 05/10/1961, LEI FEDERAL Nº. 9394/1996, mas com uma modalidade de atuação que pode ser exercida por diversos profissionais como: Terapeutas, Médicos, Enfermeiros, Psicólogos, Fisioterapeutas, Dentistas, Farmacêutico, Fonoaudiólogos, Terapeutas Ocupacionais, Professores de Educação Física, entre outros profissionais da área da saúde, onde receberão o titulo de especialistas em Massoterapia.

Existem ainda as portarias e projetos de lei: Decreto-lei nº 4.113/42, pelo Decreto Federal nº 77.052/76, Portaria nº. 95 de 04/11/1952, Projeto de Lei nº. 28/07/1997, Projeto de Lei nº. 263 de 11/03/1999, Portaria nº. 397 de 09/10/2002 – CBO 2002 – cód.nº. 5161-35 5161-15 e 3221-15 do MINISTERIO DO TRABALHO. Onde temos a classificação da MASSOTERAPIA como ocupação profissional com registro em CTPS.

O crescimento do mercado informal da massoterapia e o crescimento do mercado de massoterapeutas com formação de nível básico através dos cursos livres somam uma parcela bastante considerável. Muito mais de uma necessidade mercadológica a Formação Profissional de Nível Técnico em Massoterapia, esta sendo hoje uma necessidade social.

E, despontando no mercado de terapias naturais e Massoterapia, a FISIO VITAE visa à capacitação técnica de seus alunos para que eles possam atender junto de equipes multidisciplinares tendo com isso um maior respaldo das outras classes ligadas à área da saúde.

O profissional assim formado poderá usar seus conhecimentos massoterápicos e outras práticas complementares para atender a demanda do mercado crescente, em função das características do nosso país com dimensões continentais e a necessidade urgente de alternativas na área de saúde pública.

Os Conselhos Federais de Enfermagem e Fisioterapia não legislam sobre os profissionais técnicos em Massoterapia.

Acreditamos que para concretizar nossos ideais, a Escola deva estar alicerçada em cinco princípios: gestão democrática, qualidade, autonomia, igualdade e valorização profissional. Pois nossa proposta está voltada para uma formação não apenas técnica, mas também humana centrada na construção de cidadãos e de profissionais tecnicamente qualificados para o trabalho, que percebam a realidade, e o desafio colocado e que encontrem soluções plausíveis.